Archive for the 'Review' Category

Brütal Legend

Fala, galera! Tava sem nada pra fazer e resolvi dar uma olhada nesse blog. Mesmo depois de quase um ano sem um novo post, a gente ainda ta pegando uma media de 200 visitas por mes! Entao, deu vontade de fazer um review de um jogo ANIMAL, que eu aluguei ha algumas semanas: Brütal Legend. Pra quem curte Rock n’ Roll ou, especialmente, metal, esse e’ O jogo. (meu lap nao tem acento, desculpa galera).

Geral

O roadie usando sua guitarra

Brütal Legend e’ um jogo de açao/aventura/estrategia e muito metal. O jogo conta a historia de um roadie, Eddie Riggs (o nome se refere ao mascote do Iron Maiden, Eddie, e ao seu criador, Derek Riggs). Riggs, que tem o visual e a voz de Jack Black, e’ o melhor roadie do mundo, na pior banda do mundo. Logo no comeco do jogo, em um acidente de palco, ele e’ atingido e, misteriosamente, transportado para uma outra realidade. Chegando nesse novo mundo de Heavy Metal, Riggs toma posse de um machado, “The Separator”; sua guitarra Flying V (“Clementine”), do mundo real, adquire poderes magicos de choque e fogo; um hot rod e’ construido, “The Deuce”, que transporta o roadie para onde o metal o chama. Com essas tres ferramentas, Riggs explora o mundo, combatendo os inimigos e fazendo novas alianças.

O hot rod "The Deuce"

Varios segredos podem ser encontrados nesse novo mundo. Com sua guitarra, Eddie pode tocar incriveis solos para sumonar seu hot rod, levantar velhas reliquias, derreter a face de seus inimigos. Novos solos podem ser destravados com o andar do jogo, assim como novas musicas, inimigos, aliados e upgrades para suas ferramentas. Riggs precisa “agradar os deuses do metal”, fazendo as missoes primarias ou secundarias, ou descobrindo novos lugares. Com isso, ele ganha “sangue”, que e’ usado para comprar novos upgrades com o “Guardian of Metal” (que possui o visual e a incrivel voz de Ozzy Osbourne).

Personagens

Nao vou contar a historia do jogo inteiro aqui, mas vou dar alguns detalhes interessantes. Outras personagens no jogo sao o “Kill Master”, um baixista que cura ferimentos, que e’ inteiramente baseado em Lemmy Kilmister (Motorhead); o Fire Baron, que e’ um motociclista com a cara e voz de ninguem menos que Rob Halford (Judas Priest); General Lyonwhite, que e’ inspirado em glam rock e possui roupas “brilhantes” e um cabelo tao longo que e’ usado para voar, tambem tem a voz de Halford; o Emperador Doviculus, que e’ o antagonista do jogo, possui a voz do ator Tim Curry.

The "Fire Baron", vulgo Rob Halford

Jogabilidade

Brütal Legend tem um lado de “free play”, onde voce pode apenas explorar o mundo, dirigino o “Deuce” e ouvindo Heavy Metal. As missoes primarias sao muito variadas. Elas vao desde adquirir cordas de baixo gigantes para o Kill Master ate’ comandar sangrentas batalhas contra diversos inimigos. Uma das partes que eu mais gostei do jogo e’ a estrategia. Para construir um exercito,

Eddie comandando seu exercito em uma batalha

voce deve comandar Riggs a algum “geizer” e construir uma torre de merchandising para a sua banda. Essa torre e’ o canal entre as almas dos fans enterradas no chao e seu gigantesco palco. Quanto mais torres voce tiver, mais fans voce consegue e maior vai ser o seu exercito, que e’ composto de diversos aliados, cada um com uma especialidade. O problema e’ que os inimigos atacam essas torres, tornando sua vidamais dificil. Quando as batalhas começam, Riggs se “transforma”, ganhando a habilidade de voar, o que ajuda muito na hora de comandar seu exercito. Riggs pode se juntar ao exercito e ordenar alguns tipos de ataques especiais, como o “Mosh Pit” com os headbangers (eles literalmente balancam a cabeca em grupo, atacando o inimigo).

Trilha Sonora

Muito bem selecionada, a trilha sonora de Brütal Legend tem 107 musicas de 75 bandas diferentes. Algumas das minhas favoritas sao: The Metal – Tenacious D; Through the Fire and the Flames – Dragonforce (essa musica e’ destravada numa missao onde voce, literalmente, tem que dirigir “pelo fogo e pelas chamas”, desviando de monstros enquanto o castelo onde voce esta desmorona); The Hellion/Electric Eye – Judas Priest; Mr. Crowley – Ozzy Osbourne; entre muitas outras classicas do Metal.

Finalizando

Esse jogo e’ um dos mais criativos e originais que eu joguei esse ano. A jogabilidade e’ excelente. Musica, nem se fala. A historia e’ muito interessante. Os graficos nao sao perfeitos, mas nao fazem falta nesse jogo. Brütal Legend pode ser jogado em XBOX 360 e Playstation 3. O modo multiplayer tambem e’ excelente, onde voce comanda batalhas estrategicas contra outros jogadores. Patches podem ser baixados, incluindo novas roupas para Eddie e ainda mais musicas. Aconselho para todas as idades, pois no comeco do jogo voce pode escolher se quer ouvir palavroes e ver desmembramentos!

Guardian of Metal

Para encerrar, digo que todos devem jogar esse jogo, que se tornou um dos meus favoritos. Nas palavras do Guardian of Metal (Ozzy): “Go fuckin’ crazy!”

The Witcher

por Henrique Lokura

Saudações mais uma vez caros humanos.

Venho agora escrever para voçês sobre o jogo The Witcher, que chamou muito minha atenção.

 

A capa do jogo

A capa do jogo

Baseado em uma série de livros, o jogo se passa num mundo 5 anos após uma grande guerra, onde os Witchers, humanos “mutantes” com poderes e habilidades incriveis e que dedicam a vida a caçar monstros, saem a procura da organização salamandra, que invadiu o laboratório dos Witchers para roubar importantes informações e no meio da confusão matou o orfão humano Leo.

Na aventura você é Geralt, Witcher que perdeu a memória e agora está em busca da organização Salamandra para recuperar as informações e vingar a morte de Leo. Muito eficaz no que faz, Geralt percorre 5 atos e um epílogo entre batalhas, missões de espionagem e obtenção de informação, e, por incrível que pareça, sexo, que da um toque “único” no game.

 

Um dos monstros presentes em The Wicther

Um dos monstros presentes em The Wicther

A jogabilidade do jogo é bem interessante, onde voçê alterna entre 3 estilos de combates e pode alternar entre as 4 armas que Geralt pode carregar, cada uma com suas vantagens. O combate se baseis em “clicar” no oponente na hora certa para ir gerando uma poderosa sequência de combos, o que torna a ação um tanto quanto repetitiva. Voçê também pode usar 5 variedades de magias, chamadas “Signs”, que da uma certa variedade na hora de enfrentar seus oponentes. O jogo contem mais de uma centena de talentos entre talentos de bronze, prata e ouro, que são importantíssimos para que você consiga cumprir as missões. Uma coisa que deixa a desejar no jogo é que Geralt não pode pular, exeto quando voçê usa o comando de esquiva no modo de combate, e o cenário, que podia ser mais interativo.

 

Símbolo Aard

Aard Sign

A história do jogo é muito bem elaborada, fazendo com que o jogador queira seguir em frente para ver o que acontece. Suas decisões afetam em grande escala o futuro do jogo, alterando as missões e os personagens que você pode encontrar, como em qualquer bom jogo de RPG.

Os gráficos são bonitos e bem elaborados, dando uma bela mostra do mundo em que os Witchers andam. Os efeitos de luz, sangue, magia e expressões faciais dão uma grande vivacidade ao jogo.

 

Invocando o Igni Sign

Invocando o Igni Sign

O que deixa o jogo interessante é que as escolhas que você faz não são nem totalmente boas, nem totalmente más. Você mataria vampiras inocentes (montros que por profissão você tem que matar) ou os humanos hipócritas e estúpidos ( que você deveria proteger) que perseguem-nas?

O que mais me intrigou é que um jogo tão elaborado tem uma jogabilidade repetitiva e limitada, e que o cenário não interaja o tanto quanto devia. Jogos como Assaassin´s Creed apresentam muito mais interatividade e liberdade no cenário do que the witcher.

Ao decorrer do jogo você pode coletar alguns Sex Cards, que são 26 no total, se envolvendo com as personagens que aparecerem no caminho. Um caso curioso é quando você recebe a missão de encontar uma menina que dizem que foi hipnotizada por vampiros e fugiu de casa, mas na verdade ela foi trabalhar num puteiro, e se você pagar seu serviços descobrirá que ela, apesar de estar lá por vontade própria, foi mordida pelas criaturas da noite.

 

A "pobre" garotinha que fugiu de casa

A "pobre" garotinha que fugiu de casa

No fim das contas esse é um jogo que vale a pena ser jogado e que trará horas de intrigas e aventuras para o jogador. Se eu fosse vocês daria uma olhada

Até mais terráqueos!!!

Super Smash Bros. 64

Saudações companheiros da Terra. Estou aqui para fazer minha primeira matéria!!!! Que empolgante!!!

Bem, ontem eu estava a estudar o ambiente de vida dos humanos que agora vivem comigo, quando, numa caixa jogada no fundo do armário, encontrei uma plataforma um tanto quanto antiga. Corri contar aos meus amigos que me informaram que se tratava de um Nintendo 64. Fiquei curioso sobre um título específico que se encontrava na caixa. O nome era Super Smash Bros. Depois de incontáveis tentativas (aproximadamente 70) consegui fazer com que o videogame funcionasse.

A apresentação não teve gráfios incríveis, nem nada de especial, mas foi muito interessante. Então um pequeno tutorial é apresentado, muito bom por sinal. Chegando no menu aparecem os modos de jogo. Como eram 5 da manhã, e meus amigos terráqueos ( ao contrário de mim) precisavam dormir, entrei no “single player” mode. Escolhi o personagem mais famoso de todos os tempos: Mario!. Logo na primeira fase me apaixonei pelo game. Gráficos divertidos e coloridos tornam as fases bem legais, apesar de apresentarem baixa interatividade. Ao decorrer das fases, fui me divertindo cada vez mais. Tanto que após terminado o jogo pela primeira vez, continuei até liberar todos os personagens e “zerar” a campanha com todos eles. Termianei em torno das 11 da manhã do mesmo dia, a mesma hora em que meus amigos acordaram. Os convidei para jogarem comigo. Foi pelo menos 10 vezes mais divertido que jogar sozinho, demos muitas risadas e nos insulatamos até não poder mais.

Minha primeira luta, emocionante!

Minha primeira luta, emocionante!

Infelizmente este jogo não é mais produzido assim como sua plataforma. Porém, recomendo a todos que têm um amigo com o jogo que implorem a ele para ter a chance de jogar algumas partidas, pois realmente vale a pena.